Procurar no site


Contacto

PRIMEIROS SINTOMAS
Rua da Ribeira Nova, nº 44, 1200-376 Lisboa

(+351) 21 096 48 51 | (+351) 91 507 85 72

E-mail: primeiros-sintomas@primeiros-sintomas.com

Stéphane Alberto

Stéphane Alberto

Cenógrafo, Figurinista, Aderecista, Pintor, Escultor, Músico.

 

Nasceu em frança em 1970.

Formou-se em Realização Plástica do Espetáculo na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa em 1993.

É membro fundador da companhia de Teatro “Primeiros Sintomas” onde desenvolve grande parte do seu trabalho enquanto cenógrafo. Desde 2001 e até ao presente, assina as cenografias dos seguintes espetáculos: “O Vidro”; “Frankenstein”; “A Montanha também Quem”; “O Homem do Pé Direito”; “Endgame”; “Conto de Natal”; “Nunca Terra”; “E Agora Baixou o Sol”; “Repartição”; “Lindos Dias”; “Hedda Gabler”; “Menina Júlia”; “Maria Mata-os”; “Os Assassinos”; “A Boda”; “Salomé”; “As Bodas de Fígaro”; “O Retrato de Dorian Gray – primeira parte”; “O Retrato de Dorian Gray” e “Cyrano de Bergerac” todos encenados por Bruno Bravo. Para os seis últimos espetáculos também desenha os figurinos.

Ainda nesta companhia assina a cenografia de "O Homem Elefante" encenado por Sandra Faleiro, no Teatro Nacional D. Maria II

Em 2008 no Iº Festival de Curtas de Teatro, produzido pela Primeiros Sintomas, é encenador e cenógrafo da peça "Traz-me o Teu Amor" de Charles Bukowski. Neste festival, assina ainda cenografias para as peças “Maria Jesuína – a Mikas” de Bruno Bravo e “Relicário ou SMS Sweetheart” de Raquel Dias.

Paralelamente desenvolve outros trabalhos de cenografia colaborando com diferentes companhias e encenadores : “Concerto para Dois” de Rita Ribeiro; “Macbeth” encenado por Bruno Bravo para as Produções Próspero; "É Perigoso Debruçar-se" com encenação de Rute Rocha para a Gato Que Ladra; "Vânia" de Isabel Medina para a Escola de Mulheres, entre outros.

Trabalha como aderecista para teatro desde 1991 em espaços tais como:

Teatro Nacional de S. Carlos, Teatro Nacional D. Maria II, CCB, Teatro Politeama, Teatro da Trindade, Teatro S. Luiz, em espetáculos de Peter Brook, Pina Bausch, Carlos Avilez, Maria Emília Correia, Filipe La Féria, Cristina Carvalhal, Beatriz Batarda e Luis Cruz.

No cinema é diretor de arte nos filmes "Os Dias Antes" e "Lastro" de Carlos Braga e "Lianor" de Edgar Feldman e Bruno Bravo.

Também em cinema, televisão e publicidade, desenvolve desde 1991 trabalho de pintura cenográfica, escultura, construção de adereços e assistência de decoração em diversos filmes nacionais e estrangeiros, séries televisivas, anúncios e eventos publicitários.

Como músico compõe e toca para espetáculos de João Meireles, Manuel Wiborg e Bruno Bravo.