Procurar no site


Contacto

PRIMEIROS SINTOMAS
Rua da Ribeira Nova, nº 44, 1200-376 Lisboa

(+351) 21 096 48 51 | (+351) 91 507 85 72

E-mail: primeiros-sintomas@primeiros-sintomas.com

NOS BOSQUES PROFUNDAMENTE SILENCIOSOS DAS MONTANHAS TRÁCIAS

NOS BOSQUES PROFUNDAMENTE SILENCIOSOS DAS MONTANHAS TRÁCIAS

NOS BOSQUES PROFUNDAMENTE SILENCIOSOS DAS MONTANHAS TRÁCIAS

(o mito de Orfeu em Monteverdi, Virgílio e Ovídio)

 

8 a 31 de JULHO | Seg. - Sex. 21h30

dias 12 e 19 às 24h00 | dias 24 e 25 não há espectáculo

 

 

 

Versão cénica e dramaturgia: Miguel Loureiro e Vera Kalantrupmann

Encenação: Miguel Loureiro

Assistência: Sara Graça e Francisco Goulão

Actores: Inês Nogueira, Alice Medeiros, Gonçalo Ferreira de Almeida, João Villas-Boas e Miguel Loureiro

Cantores: Luísa Brandão e Luís Castanheira

Músico: João Aleixo

Espaço e roupas: João Rodrigues

Luzes: Marta Fonseca

Imagens, fotografias e grafismo: Helena Nogueira-Silva

Direcção técnica: Victor Gonçalves

Produção: 3/quartos

 

Nos Bosques Profundamente Silenciosos das Montanhas Trácias traduz uma vontade de trabalhar o mito de Orfeu a partir dos textos mais canónicos a ele ligados, Virgílio e Ovídio, a Eneida e as Metamorfoses respectivamente. Mas a ideia primitiva deste pequeno fresco com figuras devedoras das epopeias gregas radica para mim em termos ficcionais no início do séc. XVII, na favola in musica que Monteverdi escolhe para inaugurar o género operático: L'Orfeo (1609). O épico torna-se assim lírico e facilita-nos a leitura nestes tempos de acentuada nostalgia romântica, a métrica da epopeia é algo distante para nós. Alguém escreveu que o Orfeu era dos poucos mitos sem aplicação prática na mitologia clássica, sem caução psicanalítica, sem filiação filosófica, enfim um capricho da imaginação humana, 'solo per belezza'*. Uma paixão amorosa, uma cobra, uma mensageira, o Inferno, um resgate, um olhar e a pena perpétua da solidão; é o que nos irá bastar para voltarmos a uma das histórias mais glosadas de todos os tempos. Com cuidado. Com prazer.

 

 

Miguel Loureiro

* Expressão retirada de um texto belíssimo do Jorge Silva melo a propósito de uma ida ao teatro em Itália.

 

 

 

RESERVAS (lotação limitada, pelo que se aconselha a reserva prévia):

T. 962 566 961 / 933 559 591

 

Bilhetes : 7,5