Procurar no site


Contacto

PRIMEIROS SINTOMAS
Rua da Ribeira Nova, nº 44, 1200-376 Lisboa

(+351) 21 096 48 51 | (+351) 91 507 85 72

E-mail: primeiros-sintomas@primeiros-sintomas.com

ESCURIDÃO BONITA

ESCURIDÃO BONITA

@ RIBEIRA | 14 e 15, 21 e 22 Nov. | 16h00, 17h00 e 18h00 (3 sessões/dia)

 

 

Ficha Artística: 

Texto: Ondjaki | Conceito: Cátia Terrinca e João P. Nunes | Interpretação: Cátia Terrinca | Sonoplastia: Alexandre Vaz | Técnica e Design: João P. Nunes  | Apoio Desenho de Luz: Sara Garrinhas | Produção: UMCOLETIVO - Associação Cultural

 

Sinopse: 

Queremos contar uma história como as história 

são para ser contadas, 

com afetos. 

O teatro é um lugar escurinho e mágico, 

com as luzes surpreendentes da 

imaginação a interromper a noite, aqui 

e ali, onde dizemos “era uma vez” e, 

depois, sonhamos todos juntos 

a história de um beijo.

A nossa história é muito cheia 

de cheirinhos e sabores e abraços 

indolores. É uma história que se faz 

muitas vezes, a pouco e pouco, 

com apenas vinte pessoas na sala. 

Acontece como uma música longa e 

em segredo, que interrompe o coração, 

e, por isso, chamamos-lhe 

                                 ESCURIDÃO BONITA.

 

 

 

Duração aproximada: 40 minutosClassificação etária: M/6 

 

 

BIOGRAFIAS

Cátia Terrinca (Portugal/Cabo Verde) dramaturga, atriz e formadora, estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema e na Real Escuela Superior de Arte Dramático, de Madrid. Fundou o UmColetivo, estrutura que dirige desde 2013 e trabalha como freelancer com estruturas como Teatro Nacional D. Maria II, Companhia de Teatro de Almada, Teatro da Garagem, entre outros. Representou Portugal em festivais de teatro como Fringe Madrid, Mindelact, Inund'art.

 

João P. Nunes (Portugal) cineasta formado pela Universidade Lusófona de Humanidade e Tecnologias, pela Escola Superior de Teatro e Cinema e pela National Film and Television School, em Londres. Assinou Pela Boca Morre o Peixe (Grande Prémio Motelx – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa) e Do Céu Já Não Caem Lágrimas (Melhor Filme no 48h Film Project – Castelo Branco e Seleção Oficial do Filmapalooza 2015 – Los Angeles), entre outros.                                               

 

Ondjaki (Angola) Prosador. Às vezes poeta. Licenciou-se em Sociologia e é membro da União dos Escritores Angolanos. Interessa-se pela interpretação teatral e pela pintura (duas exposições individuais, em Angola e no Brasil). Já em Lisboa, fez teatro amador durante dois anos e um curso profissional de interpretação teatral. No ano 2000 recebeu uma menção honrosa no prémio António Jacinto (Angola) pelo livro de poesia Acto Sanguíneo. Participou em antologias internacionais (Brasil e Uruguai) e também numa antologia portuguesa. Co-realizou um documentário sobre a cidade de Luanda (Oxalá Cresçam Pitangas – Histórias de Luanda).

Em 2013, com Os Transparentes, ganhou o Prémio José Saramago.

 

 

Link Vídeo Promocional: https://www.youtube.com/watch?v=ztC2GFen7l4

 

 

RESERVAS:

E.: geral.umcoletivo@gmail.com | T.: 937 680 953

[Preço dos bilhetes: normal 4€; grupos superiores a 4 pessoas/3€ pax]