Procurar no site


Contacto

PRIMEIROS SINTOMAS
Rua da Ribeira Nova, nº 44, 1200-376 Lisboa

(+351) 21 096 48 51 | (+351) 91 507 85 72

E-mail: primeiros-sintomas@primeiros-sintomas.com

APARTADO 147 LX

@ RIBEIRA

01 - 30 NOV. | Qui. - Sex.  21h30 | Sáb. 21h30 + 23h30

 

Apartado 147, LX

A partir de cartas de Fernando Pessoa a Ophélia Queiroz

 

Direcção 

Paulo Pinto

Com 

Paulo Pinto

Pedro Lacerda

José Grazina (pintor)

 

Link para teaser: https://vimeo.com/46857609

 

SINOPSE

O espectáculo parte das cartas escritas por Fernando Pessoa a Ophélia Queiroz, compreende as duas fases. A primeira de 1920 e a segunda de 1929/30.

Em cena, dois actores, interagem entre si dizendo excertos dessas cartas, também lá está um pintor que, à medida que o espectáculo decorre, preenche uma tela de 2m por 1m.

Somos convidados a reconstruir uma relação entre um dos mais emblemáticos escritores de sempre e uma jovem burguesa, na Lisboa dos anos 20. A intimidade de Fernando Pessoa como nunca a vimos, o seu quotidiano, os seus medos, os seus desejos...

Com uma duração aproximada de quarenta minutos, o espectáculo desenrola-se através da vivência de uma das partes, numa história de amor que durou mais de dez anos.

Na sua relação com o texto dito pelos actores, o pintor José Grazina cria uma tela que é preenchida à frente dos espectadores. O público é aqui convocado a assistir a algo que normalmente é feito na intimidade do atelier. Esta pintura regista tudo o que foi convocado durante o tempo que dura um espectáculo. As palavras de Fernando Pessoa, as vozes e caras dos actores e as imagens que vão surgindo na tela fazem cada espectáculo único.

M/12

 

BIOGRAFIAS

Paulo Pinto

Nasceu em 1970. Em 1988 completou o curso de actores do IFICT (Instituto de Formação, Investigação e Criação Teatral). É actor profissional desde essa altura. Em teatro trabalhou com os seguintes encenadores: Tonan Quito, Bruno Bravo, António Feio, Ana Tamen, São José Lapa, Alberto Lopes, João Maria Vieira Mendes, Jorge Silva Melo, João Miguel Rodrigues, Franzisca Aarflot, Fernando Gomes, João Brites, António Pires, Lucia Sigalho, Adriano Luz, António Capelo, Luís Miguel Cintra, Adolfo Gutkin, Filipe Lá Féria e Rogério de Carvalho. Em Cinema trabalhou com Raul Ruiz, Werner Schroeter, Inês Oliveira, Margarida Cardoso, Miguel Gonçalves Mendes, Rosa Coutinho Cabral, Ivo Ferreira, Rita Palma, Gonçalo Luz, Rita Nunes e João Pinto Nogueira. É ainda presença habitual em séries e telenovelas na televisão.

 

Pedro Lacerda

Nasceu em Lisboa em 1971. Completou o Curso de Formação de Actores da Escola Superior de Teatro e Cinema. Desde 1997 trabalha como actor em Teatro, Cinema e Televisão. Colaborou com várias companhias e encenadores entre os quais destaca: Luís Miguel Cintra e com Christine Laurent no Teatro da Cornucópia, Jorge Silva Melo e José Maria Vieira Mendes nos Artistas Unidos, Carlos Pessoa no Teatro da Garagem, Tonan Quito na Truta, Nuno Cardoso e Ao Cabo Teatro entre outros. Em Cinema trabalhou com Jeanne Waltz, José Fonseca e Costa, Seixas Santos, Edgar Feldman, Catarina Ruivo, entre outros. Em Televisão fez parte do elenco de series como “A Família Mata”, “Conta-me como foi”, e as telenovela “Vila Faia” e “Lua Vermelha”. Em 2001 foi convidado a integrar o estágio internacional École de Mâitres dirigida por Maximo Castri e Jacques Lassale.

 

José Grazina

Nasceu no Redondo, em 1964. Completou o Curso de Desenho e Curso de Pintura, Sociedade Nacional de Belas Artes. Completou o Curso de Educação pela Arte, orientado por João Mota, Fundação Calouste Gulbenkian. Frequentou o Curso de Artes Visuais na Escola António Arroio, em Lisboa; Pintura no A.R.C.O Entre os prémios recebidos destaca: 1º Prémio de Pintura, com a obra "Transfiguração II“, I Bienal da Nazaré - Prémio Thomas de Mello, 1999; Menção Honrosa Desenho, Centro Cultural da Nazaré, 2000. Foi membro do Júri da I e III Exposição Colectiva, Artistas Plástico da Nazaré. Orientou um Workshop na Fundação Oriente com colaboração da Galeria 57, em Macau. Criou em 2002 para a Companhia Nacional de Bailado a cenografia do bailado “Who Cares?” de George Balanchine. Em 2006 foi responsável pela recuperação de cenário, figurinos e adereços para o Bailado “A Sagração da Primavera” de Igor Stravinsky Está representado no museu Francisco Tavares Proença Júnior, Câmara Municipal do Cartaxo, Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos, Câmara Municipal de Sobral do Monte Agraço, Instituto Português da Juventude, Centro Cultural da Nazaré e Colecções Particulares. Expõe com regularidade desde 1989.

 

 

Bilheteira / Reservas: T. (+351) 91 534 19 74 | E. reservas@primeiros-sintomas.com