Procurar no site


Contacto

PRIMEIROS SINTOMAS
Rua da Ribeira Nova, nº 44, 1200-376 Lisboa

(+351) 21 096 48 51 | (+351) 91 507 85 72

E-mail: primeiros-sintomas@primeiros-sintomas.com

NEVOEIRO

NEVOEIRO

Textos José Luís Peixoto | Direcção e Concepção Sandra Faleiro e Paula Castro | Interpretação e Co-Autoria Francisco Campos, Paula Castro e Sandra Faleiro | Desenho de Luz Carlos Gonçalves | Música Sérgio Delgado | Cenografia Eric Gerdau | Figurinos Carlota Lagido | Fotografia e Design Gráfico Eric Gerdau | Direcção de Produção Alejandra Alem | Assistência de Produção Pietro Romani | Co-produção Primeiros Sintomas / Casa d’Os Dias da Água

 

Apontamentos ou uma pequena viagem sobre os nossos universos

O tempo torna as memórias baças como uma madrugada de nevoeiro temporal, que dilui e desfoca os materiais que pesquisamos criando sombras e miragens a partir de situações comuns da vida.

Esse nevoeiro instala-se, expande-se. A desconstrução de situações, sentimentos, sensações, produzem imagens que vão para além das palavras e que sequenciadas ou apenas sobrepostas dão origem a um todo, um pequeno universo de memórias, de vivências, devaneios.

A incomunicabilidade, o querer estar mas não conseguir, o amor, o sufoco, e a procura de um apaziguamento de fantasmas que nos perseguem são o tónico para um discurso comum, mas dialéctico, obrigando-nos a questionar e a adaptar os nossos processos criativos em prol de um todo.

Paula Castro e Sandra Faleiro

 

 

Estou parado. Estendo as mãos para dentro do nevoeiro e, no fundo dos braços, deixo de ver as mãos. Estou parado e estou sentado. Encosto-me. O meu corpo não tem posição. Entro todo dentro do nevoeiro. Os meus olhos parados na sombra opaca do nevoeiro. Entro todo dentro do nevoeiro e deixo de ver o meu corpo. Movimento-me dentro do meu corpo parado. As minhas pernas caminham dentro do meu corpo sentado e encostado a esta superfície fria e invisível. O meu corpo não tem posição. Não me encontro. Procuro-te, superfície fria e invisível, sombra opaca. Procuro-te. Estou parado.

José Luís Peixoto

 

Classificação Etária: M/ 12 anos

Estreia Casa d’Os Dias da Água (Lisboa) | 27 de Novembro de 2003