Procurar no site


Contacto

PRIMEIROS SINTOMAS
Rua da Ribeira Nova, nº 44, 1200-376 Lisboa

(+351) 21 096 48 51 | (+351) 91 507 85 72

E-mail: primeiros-sintomas@primeiros-sintomas.com

ERVA VERMELHA [Trilogia do Cão]

ERVA VERMELHA [Trilogia do Cão]

Texto adaptação teatral da obra de Boris Vian | Tradução José Carlos Rodrigues | Encenação e Adaptação Cristina Carvalhal | Realização Plástica António Jorge Gonçalves | Interpretação Ana Lúcia Palminha, António Jorge Gonçalves, Flávia Gusmão, Pedro Carmo, Pedro Lacerda, Sara Cipriano e Tiago Mateus | Direcção de Produção Mafalda Gouveia | Produção Primeiros Sintomas 

 

Wolf ama Lil e vice-versa. Para Wolf a vida é vazia e nem por isso triste, para Lil um corolário.  Folavril ama Saphir Lazuli e vice-versa. Folavril não pensa, simplesmente vive e é doce. Saphir, para quem a vida é transcendente e impossível de qualificar, é amigo de Wolf.

Wolf construiu uma máquina do tempo para perceber onde é que aquilo começara. O tédio. Mas as sucessivas viagens no tempo apagam as recordações. Sem elas, poderá Wolf continuar a existir?

Esta é a história de um homem decepcionado, um cão velho que mia, uma máquina do tempo, um Uapiti que se deixa caçar, e outras dezassete personagens com diferentes ideias sobre o que é a felicidade.

Sob um céu demasiado baixo, uma solução que nos estralhaça vale mais do que qualquer incerteza?

A mulher, o cão, o amigo, a namorada do amigo, o Plouk, o bairro das amorosas, o negro que dança. Não pode ser só isto. A vida.

“Não se vive impunemente sem daí retirar o gosto fácil por uma certa ordem aparente. E nada mais fácil que tornarmos esse gosto extensível ao que nos rodeia” – diz Wolf, o protagonista desta história, que acusa os seus mestres de o terem feito pensar que podia existir um dia, algures, uma ordem ideal.

Mas se, como afirma Sartre, a existência precede a essência, o único universo que existe é o da subjectividade humana. O eu está condenado a essa indeterminação.

Seis actores e um desenhador em tempo real trazem para cena o universo de Boris Vian numa textura de vozes, imagens e sons.

 

Classificação Etária: M/ 12 anos

Estreia Teatro da Trindade – sala estúdio (TRILOGIA DO CÃO) | 13 de Outubro de 2006